quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Garota de 15 anos se deixa filmar fazendo sexo com 5 rapazes

Há duas semanas, durante um churrasco, uma garota de 15 anos de Sertãozinho (SP) se deixou filmar por um celular fazendo sexo com cinco rapazes – todos maiores de idade.
“Foi apenas uma farra”, diria mais tarde a garota.

O que a adolescente não esperava é que as imagens de 16 minutos de sua ‘farra’ fossem postadas no Youtube.

Agora, ela ficou famosa em Sertãozinho, a "Califórnia Brasileira", cidade de 101 mil habitantes que fica a 553 km de São Paulo.

Uma colega dela de escola disse a um jornal da região, A Cidade, que “todos falam deste vídeo. Mulher, homem, novo, velho. Todo mundo quer ver porque são todos conhecidos na cidade”.

O vídeo foi retirado do Youtube, mas é fácil encontrar na cidade alguém que tenha uma cópia. Aliás, o vídeo antes se espalhou por celulares e só depois é que foi colocado na internet.

As imagens são nítidas: sem camisinha, os rapazes, um a um, se revezam na garota, enquanto ela faz sexo oral em um deles. Ninguém está constrangido com a filmagem. Um dos jovens coloca a cueca na cabeça e finge tocar guitarra. Todos riem e chacoalham o pênis para a câmera.

Na cidade, a garota está sendo chamada de “vadia” e por outros nomes. Em seu profile no Orkut, ela se lamenta: “Se arrependimento matasse...”

Os rapazes é que, aparentemente, não estão nem um pouco arrependidos ou preocupados com a repercussão da filmagem. Um amigo deles falou que “eles acham que logo o povo vai esquecer e ninguém mais falará sobre isso”.

A própria garota estaria contando com isso e continua indo à escola, sem se importar com olhares e risinhos. O jornal não conseguiu entrar em contato com a mãe dela.

Braz Carmona, conselheiro tutelar, ouviu a menina. “Ela disse que não foi estuprada e que teve relações sexuais com os rapazes porque quis”, disse Carmona, que também colheu depoimento dos rapazes.
O conselheiro encaminhou o caso para o Ministério Público, que decidirá se vai arquivá-lo ou encaminhá-lo à Justiça.

Os rapazes poderão receber pena de 1 a 4 anos de prisão por ter corrompido uma menor de idade. “O que eles fizeram não podia ter acontecido”, disse o conselheiro. “O consentimento da adolescente não os exime de responsabilidade diante da Justiça, não inocenta.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário