terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Advogado de envolvido na morte de cinegrafista pede desculpas a Marcelo Freixo

Advogado de envolvido na morte de cinegrafista pede desculpas a Marcelo FreixoJonas Tadeu e Marcelo Freixo (Crédito: Reprodução / Facebook )
    • Ouça o pedido de desculpas do advogado para o deputado Marcelo Freixo!

      • Duração: 00:23:36

    Durante discussão ao vivo no programa Manhã da Globo, apresentado por Roberto Canazio na Rádio Globo, o advogado Jonas Tadeu, que defende Fábio Raposo, um dos envolvidos na morte do cinegrafista da TV Bandeirantes durante manifestação da última quinta-feira (6), admitiu estar desestabilizado e ter sido irresponsável ao entregar um termo circunstanciado a repórter. Tadeu pediu desculpas ao deputado federal Marcelo Freixo, que teve seu nome incluído no documento. No termo, registrado pelo estagiário do advogado, Marcelo Mattoso, consta que a ativista conhecida como Sininho afirmou que o homem responsável por acender o rojão que matou Santiago Andrade era ligado a Freixo. O advogado ainda criticou a ativista por mencionar o nome do deputado em conversa por telefone.
    'Eu estava cedendo entrevista à repórter na hora que o estagiário apareceu com o documento. Ela pegou e tirou uma foto. Talvez eu tenha sido irresponsável nesse momento. A Sininho foi imprudente ao usar o nome do Freixo. Peço desculpas por ter entregado o papel à jornalista, por ter sido levado pela emoção', argumentou o advogado.
    Tadeu negou ter entregue o termo por vingança. Ele afirmou não lembrar de ter defendido o miliciano Natalino Guimarães durante a CPI das Milícias, instalada em 2008 e presidida por Freixo.
    O deputado, entretanto, questiona a atitude do advogado. 'O seu estagiário fez um termo circunstanciado com uma acusação gravíssima, sem nenhum fundamento. E o senhor entrega a uma repórter? O senhor foi, no mínimo, inconsequente', disse.
    O advogado defendeu-se, dizendo que nunca esteve presente nas sessões da comissão presididas pelo deputado. 'Nas duas sessões em que eu estive, o deputado Paulo Melo comandava a CPI'.
    Morte e investigação
    A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou, na tarde desta segunda-feira (10), a morte cerebral de Santiago Ilídio Andrade, de 49 anos. O cinegrafista da TV Bandeirantes estava internado no CTI do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, deste a última quinta (6). Santiago foi atingido por um rojão durante um protesto contra o aumento das tarifas de ônibus. Ele teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha esquerda.
    Fábio Raposo, que admitiu ter repassado um rojão pouco antes de o cinegrafista ser atingido durante protesto, foi preso no Rio, no domingo. O manifestante foi localizado na casa dos pais, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste da cidade, segundo a Polícia Civil.
    Fábio foi indiciado pela polícia neste sábado como coautor dos crimes de explosão e tentativa de homicídio qualificado. Um segundo homem, suspeito de jogar o artefato, é procurado pela polícia. O advogado de Fábio, Jonas Tadeu, disse já ter o nome do suspeito de acender o rojão e que vai transmitir a informação à polícia.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário