quinta-feira, 17 de abril de 2014

Feira de Santana registra 42 mortes durante greve da PM

Sangue. Este foi o cenário visto em Feira de Santana nos três dias de greve da Polícia Militar. A cidade registrou nada menos que 42 mortes, sendo 38 homicídios e latrocínios, além de 4 autos de resistência. As mortes foram registradas  das 8h da manhã de quarta-feira, 16, até as 13h desta quinta-feira,17. A polícia civil utilizou todo o efetivo de policiais, escrivães e delegados da cidade para agilizar os levantamentos cadavéricos.
"Todas as  delegacias territorial e especializadas ficaram a disposição para dá suporte a Delegacia de Homicídios pra a realização dos levantamentos cadavéricos. Estamos ainda tentando fechar os números precisamente, pois  a todo momento chegam novos casos", informou o coordenador da 1ª Coorpin, delegado Ricardo Brito.  
Na manhã desta quinta, o que se via no prédio do Departamento de Polícia Técnica (DPT) era uma multidão que tentava liberar os corpos de parentes. De acordo com o coordenador regional do órgão, Renato Lacerda foi montada uma estrutura para conseguir realizar os serviços de pericias nos locais dos crimes e necropsias de forma ágil. "Estamos utilizando várias equipes de peritos criminais e técnicos, além dos médicos legistas. Contamos ainda com o apoio de outras regionais para nos dá suporte, caso não possamos realizar as necropsias", afirmou.
Diferente do que houve no 1ª dia de greve, onde o clima era de terror pelas ruas da cidade com a suspensão de aulas em escolas e faculdades, lojas fechadas e ônibus sem circular, nesta quinta os veículos de transporte coletivo retornaram as atividades por volta das 6h, mas avisaram que só iriam funcionar até as 17h. O comércio abriu por volta das 9h e funcionou parcialmente com poucas lojas funcionando, mesmo assim com as portas abertas pela metade.
A prefeitura realizou uma reunião com representantes de blocos, trios e camarotes para discutir o possível adiamento da Micareta 2014, que acontece de 24 à 27 deste mês. Após várias propostas ficou acertado que caso a greve não terminasse até as 18 horas desta quinta, a Micareta estava suspensa e uma nova data seria discutida na próxima semana.
A arquidiocese de Feira de Santana suspendeu a realização da procissão do Fogaréu que aconteceria ontem a noite na cidade. E antecipou em cerca de 3 horas as celebrações referentes à páscoa. "Decidimos cancelar a procissão pela falta de segurança e de transporte. As celebrações foram mantidas, apenas a missa de Lava Pés que aconteceria à noite, adiantamos para ser realizada as 16h", frisou o arcebispo metropolitano Dom Itamar Vian.
Os policiais militares mantiveram a concentração da greve na sede da ASPRA e no final da manhã alguns foram participar da assembleia para discutir as propostas apresentadas pelo governo do Estado. Segundo o Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL) na madrugada equipes da Cael, tropa especializada da Policia Militar, chegaram na cidade para ajudar no policiamento. "Ao todo são 32 homens e 8 viaturas que estão trabalhando para manter a ordem na cidade. Estamos fazendo rondas em todos os bairros e distritos de Feira de Santana", disse o comandante do CPRL, coronel Adelmário Xavier.
Homens do Exército também realizaram rondas pela ruas da cidade. Eles foram para a rua desde a tarde de quarta-feira. Não se sabe qual o efetivo disponibilizado para o município. (A Tarde)

Nenhum comentário:

Postar um comentário