quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Moradores de Cafarnaum reclamam da insegurança; ‘Bandidos fazem chacota’


A cidade de Cafarnaum, centro norte baiano, foi nomeada em referência à localidade bíblica em que Jesus realizou alguns dos seus milagres e que era conhecida por ser pacata. O município da Bahia, porém, passa longe disso.
A população de cerca de 20 mil habitantes se encontra aterrorizada por conta de uma onda de assaltos, especialmente nos finais de semana, que retiraram a tranquilidade do local. “Fizeram um arrastão no final de semana. O povo vem tirar o Bolsa Família e é roubado. A população está sofrendo e nós entramos em contato com a prefeitura pra que eles nos auxiliem”, afirmou Tatiane Ribeiro, que se colocou como uma das líderes de um movimento que busca maior segurança para a cidade. “A gente está precisando de mais efetivo, só tem dois policiais. Está tendo muito roubo, posto de gasolina, casa lotérica, supermercado. Já falei com o delegado regional, que prometeu arrumar mais dois policiais, mas ainda não fez nada. Já falei com o deputado Marcelo Nilo (PDT), estive com ele nesta segunda-feira (3) e falei de novo”, afirmou o prefeito Euilson Silva (PSDB).
Segundo o gestor, a agência do Banco do Brasil da cidade “só serve pra resolver problema de transferência” porque sempre que o carro forte traz dinheiro, acontece outro assalto. Silva também disse que há bandidos tanto da cidade quanto de fora, que vão ao município para realizar os furtos. “Eles fazem chacota com a população. Dá oito horas da noite e ninguém pode mais sair de casa”, relata Tatiane. Por conta da insegurança, a população planeja fazer um protesto ainda nesta semana na BR-122 e na BA-046, que ligam Cafarnaum a Seabra e Irecê, respectivamente. “Vamos bloquear a estrada e queimar uns pneus pra ver se conseguimos atenção do governador”, avisou a líder. O efetivo sempre foi pequeno e a violência que está aumentando, declarou o prefeito.
Em contato com a reportagem, a assessoria da Secretaria de Segurança Pública informou que a delegacia local é quem pode falar das ocorrências na cidade. Porém, a cidade não tem mais delegado próprio e quem responde por Cafarnaum é a delegada de Irecê. Já a Polícia Militar tem informações que conflitam com o que foi dito tanto pelo prefeito quanto pela moradora da cidade em relação ao policiamento. “O 7º Batalhão, responsável pelo policiamento no município de Cafarnaum, informa que o policiamento na cidade é realizado por oito policiais militares com apoio de uma viatura, além disso, guarnições da Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE)/Semiárido também reforçam as ações da PM na região”, informa a nota.

Nenhum comentário:

Postar um comentário