domingo, 16 de agosto de 2015

Coordenador do Território de Irecê solicita que prefeitos complementem informações sobre o Decreto de emergência

Foto: Divulgação
O Coordenador do Território de Irecê, Walter Ney Dourado, solicita que prefeitos  complementem  informações sobre o Decreto de emergência com urgência
O Território de Identidade de Irecê, composto por vinte (20) municípios, uma extensão territorial de 27.490 km², para se ter uma ideia maior que o Estado de Sergipe, abrangendo uma população de quase 500 mil habitantes, passa por um período de estiagem levando milhares de agricultores a mais uma grande preocupação.

O Coordenador do Território Walter Ney Dourado, diz que de fato com as últimas chuvas o lençol freático foi reabastecido em parte, mas não o suficiente, mesmo com a agricultura irrigada aquecendo a economia, a situação já é preocupante, pois os poços voltaram a baixar e o Território enfrenta sinais evidentes de um processo de desertificação, que é preciso repensar o Território de Irecê, com um modelo de agricultura alternativo sustentável.

Ele faz um apelo aos prefeitos para que com base nas informações do Decreto de Situação de Emergência - O DECRETO Nº 16.202 DE 09 DE JULHO DE 2015, publicado no Diário Oficial do Estado da Bahia, conforme a Instrução Normativa do Ministério da Integração Nacional nº 01, de 24 de agosto de 2012 e entrou em vigor na data de sua publicação vigendo pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, complementem as informações junto ao Sistema Integrado de Informações Sobre Desastres – S2ID, que qualquer dúvida entre em contato com a SUDEC pelos telefones: (71) 3116-3977/3116-3975. Os gestores dos municípios de América Dourada, Barra do Mendes, Barro Alto, Cafarnaum, Canarana, Ibipeba, Ibititá, Ipupiara, Irecê, Jussara, Lapão, Mulungu do Morro, Presidente Dutra, São Gabriel, Uibaí, Central, Gentio do Ouro, Itaguaçu da Bahia, João Dourado e Xique-Xique, devem fazer o mais rápido possível, pois caso a prefeitura não faça o decreto os agricultores serão prejudicados em futuras renegociações de endividamento a partir de janeiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário