segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Pai e filho morrem na BR 324 quando seguiam de Salvador para Retirolândi


Familiares disseram que Guina havia vendido o carro e adquirido essa moto.


Agnaldo de Oliveira Carneiro, 44 anos e seu filho Átila Oliveira Carneiro,14, naturais de Retirolândia, residentes no bairro da Fazenda Couto, em Salvador, morreram no fim da tarde de sábado (15), na BR 324, próximo ao posto fiscal, sentido Salvador/Feira de Santana, vitimas de acidente de moto. Eles deixaram a capital com destino ao Povoado de Uberlândia, localizado a 10 km da sede do Município de Retirolândia, por volta das 16h45 perderam a vida.
Pai e filho viajavam um moto Kawasaki Ninja, dados não anotados, segundo informações de populares, estava em alta velocidade quando perdeu o controle e bateu na proteção que divide as pistas da BR e uma placa de sinalização. Os dois faleceram no local, vítimas de traumatismo craniano, mesmo usando capacete.
Moto pertencente a Agnaldo.
Moto pertencente a Agnaldo praticamente não sofreu danos.
Segundo familiares que desde noite de sábado estão reunidos na residência de José Vital Carneiro, pai do Agnaldo, mais conhecido com “Zé Fogo”, no Povoado de Uberlândia, uma das irmãs, Cristina de Oliveira Carneiro, percebeu o atraso do irmão e resolveu ligar para seu celular e quem atendeu foi patrulheiro rodoviário, isto por volta das 19h, sendo informada da tragédia.
Cristina falou com irmão na noite de sexta feira (14) e ele teria dito que, caso não chovesse, viajaria no dia seguinte para a comunidade. Ela disse também que seu irmão constantemente pedia oração à família por meio de mensagens e que vinha percebendo certa tristeza através das mensagens que enviava.
Comunidade de Uberlândia também conhecida por Pinhões, para onde será levado os corpos.
Comunidade de Uberlândia também conhecida por Pinhões, para onde será levado os corpos.
Casado, Agnaldo tinha dois filhos. Um como 24 anos, do primeiro relacionamento e o segundo, Atila Oliveira, do atual casamento. A moto que pilotava, Agnaldo havia adquirido há quatro meses e, segundo familiares, esteve em Retirolândia nas festas de São Pedro. Guina, como é conhecido trabalhava na indústria ALPAQ, do empresário Adailton Caneiro.
Até por volta das 16h deste domingo, 16, quando a equipe Calila esteve na comunidade, os corpos permaneciam no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues devendo chegar a noite e o sepultamento devendo acontecer na manhã desta segunda-feira.
Redação CN * fotos: WhatsApp e Raimundo Mascarenhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário