quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Tráfico de drogas é responsável por mais de 50% dos assassinatos de jovens na Bahia

Foto: arquivo Raimundo Mascarenhas
Foto: arquivo Raimundo Mascarenhas
O tráfico de drogas vem crescendo e é responsável por mais de 50% dos casos de homícidios na Bahia. A constatação foi feita na quarta-feira (11/11) pelo secretário de segurarnça pública do Estado, Maurício Teles Barbosa, durante audiência pública da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga o assassinato de jovens no Brasil. A Comissão é presidida pela senadora Lídice da Mata (PSB-BA) e tem relatoria do senador Lindbergh Farias (PT-RJ).
Na avaliação de Barbosa, é preciso, sim, “levar luz aos dados sobre a violência e a criminalidade na Bahia”, e embora reconheça que são altos os índices envolvendo o enfrentamento policial, ele defende que “essa não possa ser citada como a única motivação do homicídio de jovens e negros”.
Enquanto a taxa de homicídios no Nordeste é de 38,9 mortes por cada 100 mil habitantes, a Bahia registra índice de 37,4 assassinatos para a mesma faixa populacional, e vem apresentando aumento sucessivo da criminalidade nos últimos 15 anos. No entanto, o secretário informou que a capital baiana – Salvador – registrou o quinto ano consecutivo de redução no número de assassinatos. Por outro lado, ele informou à CPI que em vários municípios baianos há anos não são realizados tribunais para averiguação de crimes, o que prejudica as investigações.
Embora ocorram dificuldades com diminuição de recursos financeiros para aplicação em segurança pública, segundo o secretário o governo do Estado vem atuando em programas para a prevenção da criminalidade e qualificação policial e fortalecendo políticas voltadas para a juventude. Ele citou programas como o Baralho do Crime – que ajuda a divulgar e localizar criminosos procurados na Bahia – e o Ronda Maria da Penha, voltado para diminuir a violência contra as mulheres. Também lembrou o êxito do Programa Pacto pela Vida, que tem apresentado resultados positivos para a juventude e conta com a colaboração de profissionais de segurança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário