terça-feira, 20 de setembro de 2016

Pesquisa eleitoral é questionada em Central

Edifício na Capital Baiana onde supostamente funciona o Instituto de Pesquisas (Foto Montagem: CN)A sociedade vive cada vez mais desconfiada e desacreditada com relação a institutos de pesquisas. Empresas famosas nesse segmento vêm errando de forma grotesca. Uma pesquisa eleitoral registrada e que será publicada possivelmente na próxima terça-feira (20), em Central, gera críticas e questionamentos de pessoas, contra a instituição que realizou o serviço.
A pesquisa é encomendada por José Raimundo de Castro e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o protocolo BA-09331/2016. O levantamento ouviu 385  pessoas, na sede e povoados. ‘A preocupação da Coligação Por Uma Nova Central, é por que se a pesquisa vai ser divulgada, já se pressupõe de como será o resultado que é no mínimo enganoso e duvidoso, já que não vai retratar o que realmente está acontecendo no cenário político do município de Central’, disse um leitor que prefere manter seu nome em sigilo.
Depois que a Redação do CN recebeu várias denúncias contestando vazamentos de conversas sobre prováveis números da pesquisa e o que poderão se concretizar após a sua divulgação, a reportagem foi atrás de informações da empresa contratada através de dados do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Trata-se da Âncora Pesquisa e Publicidade que está localizada na Avenida Estados Unidos, número 258, Edifício Cidade de Aracajú, Sala 1105, Comércio, em Salvador (BA). Os dados estão disponíveis no Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral, da Receita Federal. O telefone para contato é o (71) 99924 5822. A reportagem tentou ligar várias vezes para Âncora, mas o telefone permanece desligado.
O CN enviou uma pessoa até o Edifício em Salvador, mas a informação do porteiro é de que a Âncora não funciona no local. A reportagem também apurou a informação que uma das possíveis sócias da empresa, Elizângela Ribeiro,  mantinha um escritório na Praça João XXIII, em Irecê. A informação foi averiguada, e o escritório não foi localizado.
A denúncia levanta também o histórico de erros cometidos pelo Instituto, o que leva a questionar a veracidade dos futuros resultados em Central. A reportagem mais uma vez foi investigar e comprovou que o instituto cometeu erros de pesquisa nas eleições municipais de 2012. Na cidade Várzea Nova, região de Jacobina,  por exemplo, a Âncora publicou um estudo no dia 04 de outubro de 2012, três dias antes da eleição, apontando que o então candidato Edson Junior ganharia a disputa com mais de 44% dos votos. No entanto, o seu opositor, Dion Avelino foi o vitorioso nas urnas. Em Ourolândia, o mesmo instituto realizou uma pesquisa e não foi feliz. Dizia que João Dantas de Carvalho liderava com 49% as intenções de voto, porém, a oponente Yhonara Freire venceu o pleito. Já em Conceição do Coité, Nordeste da Bahia, um dia antes da eleição de 2012, o instituto disse que o atual prefeito Renato Souza liderava a pesquisa com 51%. Entretanto, nas urnas, o resultado foi diferente, e quem ganhou foi o adversário Francisco de Assis que aparecia no levantamento com 45% das intenções de voto.
Diante de tantos erros cometidos por institutos de pesquisa, as pessoas estão cada vez mais questionando a seriedade e lisura destas entidades.
Links relacionados à matéria
Fonte: Central Notícia 

Nenhum comentário:

Postar um comentário